Entrar

A profissão de advogado: o que faz e como escolher o curso?

Por Sumaia Santana | Em 24/04/2023 09:38:38 | Profissões, Advogado | 💬 0

O advogado trabalha para garantir os direitos e a preservação dos interesses de pessoas físicas, empresas e do setor privado. A duração do curso de Direito é de 10 semestres letivos.


São 50 especialidades de Direito, de acordo com a Análise Editorial, empresa brasileira dedicada a publicações sobre o assunto
São 50 especialidades de Direito, de acordo com a Análise Editorial, empresa brasileira dedicada a publicações sobre o assunto

Para exercer a profissão de advogado é preciso cursar a graduação de 5 anos e, após o curso, obter o registro na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

O advogado defende os direitos e interesses de quem o contrata, com 50 tipos de Direito para se especializar. Saiba mais sobre o trabalho desempenhado por este profissional.

O que faz um advogado?

O advogado trabalha para garantir os direitos e a preservação dos interesses de pessoas físicas, empresas e do setor privado, usando para isso, as leis em vigência do país onde atua.

No primeiro contato com o profissional, o cliente explica que está se sentindo prejudicado e deseja reverter tal situação.

Por ser uma ponte entre o queixante e o poder judiciário, o advogado precisa analisar minuciosamente o caso, buscar elementos que provem que o contratante está sendo lesado.

Algumas vezes o trabalho do advogado pode ser convencer o juiz que seu cliente cometeu um crime em legítima defesa, ou seja, para proteger sua integridade física.

Mas, independentemente de garantir que o contratante receba uma indenização trabalhista, uma mãe que busca reconhecimento de paternidade de seu filho, ou uma vítima de violência que precisou agir de forma extrema para se defender, o advogado precisa ter sólida bagagem para construir argumentos sólidos e atingir os resultados almejados.

Como escolher o curso de Direito?

A duração do curso de Direito é de 10 semestres letivos e carga horária de no mínimo, 3,7 mil horas, de acordo com a portaria nº 1.886, de 30/12/1994 do MEC. A implantação dos primeiros cursos de Direito no Brasil ocorreu em 11 de agosto de 1827.

A Faculdade de Direito de São Paulo, localizada no Largo São Francisco, centro da capital paulista, e a Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco, são as instituições pioneiras.

Quem deseja ingressar na carreira de advogado precisa escolher bem a instituição. Isso porque muitas universidades apresentam falhas e formam profissionais capazes de exercer o trabalho com excelência.

Uma boa forma de buscar boas instituições é o RUF (Ranking Universitário Folha de São Paulo) que analisa as quase 200 universidades do país nos quesitos pesquisa, ensino, mercado, internacionalização e inovação.

Atualmente, o ranking dos 10 melhores cursos de Direito do Brasil de 2019 do RUF é o seguinte:

  • 1º USP (Universidade de São Paulo);
  • 2º UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais);
  • 3º FGV-SP (Escola de Direito de São Paulo);
  • 4º UnB (Universidade de Brasília);
  • 5º UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro);
  • 6º UFPR (Universidade Federal do Paraná);
  • 7º UFPE (Universidade Federal de Pernambuco);
  • 8º UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul);
  • 9º PUCSP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo);
  • 10º UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro).

O que estuda o advogado no curso?

Aqui, trouxemos as disciplinas obrigatórias da faculdade de Direito da USP, que oferece o curso nas cidades de São Paulo e Ribeirão Preto (interior paulista):

  • 1º período: Teoria Geral do Direito Privado I, Direito Romano Atual I, Economia Política, Teoria Geral do Estado I, Introdução ao Estudo do Direito I, Metodologia do Estudo do Direito;
  • 2º período: Teoria Geral do Direito Privado II, História do Direito I, Teoria Geral do Estado II, Introdução ao Estudo do Direito II, Introdução à Sociologia para Faculdade de Direito;
  • 3º período: Fundamentos e Princípios do Direito Empresarial, Teoria Geral das Obrigações, Direito Financeiro, Economia Política, Direito Constitucional I: Direitos Fundamentais, Sociologia Jurídica, Teoria Geral do Processo, Teoria Geral do Direito Penal I;
  • 4º período: Propriedade Intelectual e Acesso ao Conhecimento, Teoria Geral dos Contratos e Contratos do Código Civil, Direito Administrativo, Direito Constitucional II: Organização do Estado, Processual Civil II: Procedimento Comum II;
  • 5º período: Concorrência e Mercado, Fontes das Obrigações: Responsabilidade Civil, Atos Unilaterais e Outras Fontes, Filosofia do Direito I (Parte Geral), Direito Internacional Público, Direito Processual Civil II: Procedimento Comum II, Direito do Trabalho I;
  • 6ª período: Contratos Empresariais, Direito das Coisas, Direito Econômico, Economia Política, Direito Internacional Privado, Direito Processual Penal I, Direito do Trabalho II;
  • 7º período: Direito Societário I, Direito de Família e Sucessões, Direito do Comércio Internacional, Direito Processual Penal II
  • 8º período: Trabalho de Conclusão de Curso I, Direito Tributário II, Seguridade Social;
  • 9º período: Trabalho de Conclusão de Curso II.

Lembrando que o curso de Direito da USP possui ainda disciplinas optativas e, cada uma delas está relacionada ao semestre das disciplinas obrigatórias.

A Introdução ao Latim Jurídico, Direito e Equidade de Gênero, Introdução ao Direito Ambiental são alguns exemplos das disciplinas optativas.

Tipos e especialidades do Direito

São 50 especialidades de Direito, de acordo com a Análise Editorial, empresa brasileira dedicada a publicações sobre o assunto.

Veja quais são essas 50 áreas extraídas do Diretório Nacional da Advocacia de 2016, material produzido pela Análise Editorial em 2016:

  1. Administrativo;
  2. Aduaneiro;
  3. Advocacia de apoio;
  4. Aeronáutico;
  5. Agrário;
  6. Ambiental;
  7. Arbitragem;
  8. Autoral;
  9. Bancário e Financeiro;
  10. Biotecnológico;
  11. Cível;
  12. Comercial;
  13. Comércio Internacional;
  14. Concorrencial;
  15. Constitucional;
  16. Consumidor;
  17. Contratos Comerciais;
  18. Desportivo;
  19. Direito das Águas;
  20. Direito do Terceiro Setor;
  21. Econômico;
  22. Eleitoral;
  23. Empresarial Penal;
  24. Energia;
  25. Falência e Recuperação Judicial;
  26. Família e Sucessões;
  27. Fusões e Aquisições;
  28. Imobiliário;
  29. Importação e Exportação;
  30. Infraestrutura;
  31. Internacional;
  32. Internet e E-commerce;
  33. Marítimo e Portuário;
  34. Mercado de Capitais;
  35. Mineração;
  36. Operações Financeiras;
  37. Penal;
  38. Petróleo e Gás;
  39. Previdenciário;
  40. Project Finance;
  41. Propriedade Intelectual;
  42. Reestruturação;
  43. Regulatório;
  44. Sanitário;
  45. Seguros;
  46. Sindical;
  47. Societário;
  48. Telecomunicações;
  49. Trabalhista;
  50. Tributário.

15 principais áreas do Direito no Brasil

Conheça quais são as 15 áreas do Direito mais populares do país:

  1. Direito Civil: concentra o maior número de advogados no Brasil. O Direito Civil trata das regras da convivência em sociedade. É uma área abrangente, de questões de família a bens e propriedades;
  2. Direito Penal: defesa e acusação de envolvidos em crimes e contravenções;
  3. Direito Tributário: impostos, taxas, erros de arrecadação, etc;
  4. Direito Trabalhista: disputas entre empregados e empresas, ações sindicais e tudo relacionado ao trabalho;
  5. Direito Contratual: com foco na elaboração de contratos;
  6. Direito Empresarial: trata de assuntos relacionados ao comércio, desde a abertura e fechamento de estabelecimentos até a redação de contratos de marcas e patente;
  7. Direito Ambiental: processos de licenciamento, ações em processos civis e judiciais;
  8. Direito do Consumidor: defesa do indivíduo com fornecedores de bens e serviços;
  9. Direito Digital: o advogado dessa área pode assessorar empresas para que sigam a Lei de Proteção de Dados, dentre outras questões ligadas à internet;
  10. Direito Eleitoral: regulamentação do processo eleitoral e garantir os direitos políticos das pessoas;
  11. Direito Imobiliário: tudo que diz respeito às transações imobiliárias;
  12. Direito Desportivo: proteção dos direitos dos atletas, contratos e regulamentos de competições, dentre outros assuntos;
  13. Direito Rural: o advogado dessa especialidade pode atuar na defesa de famílias que trabalham no campo, prestar consultoria a cooperativas e a grandes empresas;
  14. Direito da Propriedade Intelectual: o foco é a defesa de direitos autorais, proteção de patentes e marcas e coordenação de licenciamentos de marcas;
  15. Direitos Humanos: atuação em planejamento de políticas para proteção de direitos às vítimas de violência, assessoria a ONG’s, etc.
Foto de perfil Sumaia Santana
Por Sumaia Santana | Redatora
Formada em Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV. Atuo com redatora desde 2015 e tenho experiência na criação de artigos e notícias sobre diversos temas.

Deixe seu comentário (0)

Participe, faça um comentário.